feminismo · Palavras Soltas · relacionamentos

Você disse que sou tóxica, mas você me intoxicou

“Sempre sei como acaba, mas nunca sei onde começa.
Você disse que sou tóxica, porque é só essa parte que te interessa.

Coloquei uma placa de PERIGO bem lá no começo;
Só pra te avisar, porque sempre soube que não se obriga ninguém a ficar.

Sempre sei como acaba, mas nunca sei onde começa.
Você disse que sou tóxica, porque é só essa parte que te interessa.

Nunca quis virar as coisas do avesso;
Nunca foi sua obrigação saber lidar;
Mas nós dois já sabíamos que uma hora as tempestades iriam chegar.

Depois daquela parte cheia de incertezas,
Vieram muitas partes bonitinhas.

Sempre sei como acaba, mas nunca sei onde começa.
Você disse que sou tóxica, porque é só essa parte que te interessa.

Erro aqui, defeito ali. De perfeito, nunca houve ninguém.
No fim das contas, ficávamos bem.
Ou pelo menos era o que tinha que ser.

Você nunca teve culpa por quem veio antes,
Mas me culpou por não saber sumir com as cicatrizes.
Você nunca teve culpa pelos danos e problemas que eu já colecionava,
Mas foi sua culpa não entender o quanto você acrescentou nessa coleção.

Sempre sei como acaba, mas nunca sei onde começa.
Você disse que sou tóxica, porque é só essa parte que te interessa.

Você se interessou pelo esforço de ficar apenas enquanto parecia desafio.
Você se desinteressou e começou a me desgastar, por não saber o que fazer com seu vazio.
De desgaste em desgaste, uma hora a corda arrebenta.
Mas você nunca entendeu que isso não era um dos seus jogos pra ver quem mais aguenta.

Sempre sei como acaba, mas nunca sei onde começa.
Você disse que sou tóxica, porque é só essa parte que te interessa.

Nessa sua brincadeira que misturava ego e covardia,
Não quis pagar pra ver.
Há quem queira, você pensou
E mais um erro em mim você enxergou.

Sempre sei como acaba, mas nunca sei onde começa.
Você disse que sou tóxica, porque é só essa parte que te interessa.

O abuso é como um veneno.
É fato, nosso relacionamento foi envenenado.
Os sorrisos foram somando lágrimas.
As conversas, somaram brigas.
O companheirismo, ah, esse só subtraiu
E você não soube lidar com o vazio que surgiu.

Sempre sei como acaba, mas nunca sei onde começa.
Você disse que sou tóxica, porque é só essa parte que te interessa.

Me sufoquei nessa relação envenenada
Como quem se afoga em mar aberto e não consegue ver mais nada.
Você se mostrou alguém que eu não conhecia.
Você me assustou.

Se prestar atenção, ainda é possível ouvir seus socos
Um
Dois
Três
E os gritos, uns atrás dos outros.

Você disse que sou tóxica, porque é só essa parte que te interessa.

Você disse que sou tóxica, mas você me intoxicou.

Me intoxicou a cada soco
A cada grito
A cada ausência
Me intoxicou a cada sufoco
A cada medo
E com a sua desistência.

Você disse que sou tóxica, porque é só essa parte que te interessa.
Mas existem muitas outras partes que compõe essa peça.

As lágrimas não podem limpar as feridas
Mas limpam a alma, me fazem querer ter outras, novas vidas.

Você disse que sou tóxica, porque é só essa parte que te interessa.
Espero que seu interesse mude.
Quanto a mim, vou nessa.

Vou ser outra
Vou viver noutros mundos
E, aqui, não há espaço para que você me impeça.”

Letícia Michalczyk

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s